O consumidor do século 21 busca cada vez mais uma experiência no processo de compra e não simplesmente trocar dinheiro por uma mercadoria. E baseado neste conceito, ter um ponto de venda (PDV) organizado pode ser um artifício a mais para ajudar a impulsionar suas vendas.

Então, aprenda como organizar a sua loja de ferramentas de forma simples e eficaz para vender mais conferindo os seis passos que separamos para você.

É preciso ter cuidado com todo o percurso, desde a chegada do potencial consumidor à loja, passando pela forma como ele é conduzido no processo de compra e, por fim, na agilidade para o pagamento. Por sinal, agilidade é algo muito favorável em tempos de horários cada vez mais apertados, inclusive para realizar compras. As dicas valem para todos, pequenos, médios ou grandes.

 

Fachada

A primeira impressão é a que fica.

O maior desafio em tempos de uma concorrência tão acirrada é atrair a atenção do cliente para seu comércio. Isso começa pela forma como a loja de ferramentas é vista do lado externo. Ou seja, uma fachada limpa e bem elaborada, somada a uma calçada bem cuidada – e um jardim, se houver. Um ambiente assim passa a sensação de organização que pode refletir de forma positiva na credibilidade. Afinal de contas, ninguém gosta de frequentar locais com padrões de limpeza duvidosos.

 

Vitrine bem elaborada

Cause impacto desde o início.

Uma vitrine bem elaborada, com produtos distribuídos da forma correta, é a primeira forma de atrair clientes para as compras. Além disso, é preciso distribuir o mix de produtos de forma criativa em um cenário bem elaborado.

Saiba ainda diferenciar uma vitrine com várias opções de produtos de uma “poluída”.

O ponto mais nobre da vitrine é o de foco: o central. Ali você deve posicionar seu principal produto. Na sequência vem o espaço ao lado da porta de entrada da loja de ferramentas. Desta maneira, procure posicionar os equipamentos sempre à altura dos olhos do comprador.

Produtos no piso da vitrine ou mesmo sobre elementos como cubos são normalmente desvalorizados. Evite isso.

 

Recepção

Uma boa recepção também ajuda muito.

O vendedor deve ser prestativo e estar apto a identificar rapidamente a necessidade do cliente. Portanto, perguntas assertivas podem facilitar a revelação das reais necessidades. E também podem apontar ainda para futuras vendas adicionais de ferramentas que agreguem valor ao produto principal.

Alguns clientes preferem desvendar por conta própria os caminhos que levam à ferramenta que buscam. Se for esse o caso, o vendedor deve estar atento a não importunar o consumidor. Então, deixe-o livre para vivenciar a experiência, mas certifique-se de estar atento e à disposição. Isto é, caso haja dúvidas ou mesmo para o fechamento da compra.

 

Comunicação Visual

Chame a atenção para as mercadorias.

Totens, placas, banners e testeiras que valorizam o produto são capazes de atrair o olhar dos consumidores. Então, lembre-se que a visão é o primeiro contato entre cliente e produto. É aí que ele se depara com elementos como tamanho, cor e formato. Sobretudo um elemento que valorize e, se possível, realce as virtudes do equipamento, pode ajudar na argumentação de venda.

 

Bancada de Testes

Em loja de ferramentas, mais que ver, tocar é essencial.

Dê ao cliente a oportunidade de tocar e manusear a mercadoria. Quando se trata de ferramentas, isso reforça a argumentação de venda, criando um envolvimento maior com o ambiente da loja. Se houver um espaço destinado a testar a mercadoria, essa experiência será ainda mais real e incentivadora à compra.

Facilitar o acesso à ferramenta e ao seu uso proporciona ao consumidor uma sensação de liberdade. Por isso, lembre-se de ter à mão os equipamentos de segurança exigidos para cada ação.

Trabalhar o máximo de sentidos possíveis no PDV é desafiador e ao mesmo tempo recompensador para a compra. A visão é o primeiro sentido aguçado, mas ver e não poder tocar pode ser frustrante. Ver, tocar e ainda poder testar o equipamento pode ser uma experiência decisiva para o consumidor.

 

Crie um caminho

 

  • Altura

O produto ao alcance das mãos.

Organizar a sua loja de ferramentas de maneira adequada, setorizando os equipamentos, pode ajudar neste processo.

Mesmo quem gosta de circular pelo comércio à vontade, quer ao menos ter elementos que o direcione pelo caminho correto. Quanto aos produtos, procure mantê-los à altura dos olhos, algo entre 1,20 metro e 1,80 metro. O chamado “ponto de pega” acontece em uma variação de entre 1 m e 1,60 m. Essas medidas são pensadas a fim de facilitar a visibilidade e o acesso ao produto.

Acima de 2 metros priorize a comunicação visual. Por consequência, os produtos expostos a essa altura acabam escapando do campo de visão dos compradores.

 

  • Direção

Algumas técnicas são válidas.

Se o produtos requer destaque, opte por posicioná-lo ao lado direito da entrada principal. Pois é hábito do consumidor, logo ao entrar na loja, olhar para este lado.

Reserve ao fundo da loja uma boa atenção. Uma exposição bem feita pode valorizar este espaço e conduzir seu cliente por todos os outros espaços até chegar a ele. Portanto, use produtos estratégicos, como artigos promocionais e lançamentos, para incentivar todo o percurso.

 

Checkout

Seja ágil para finalizar o processo.

Depois de todo o processo de compra, a tarefa ainda precisa ser concluída. Não hesite. Procure ser ágil no processo de finalização da compra. Ninguém aprecia esperar numa fila que demore ou com excesso de burocracia que atrase sua saída.

Mantenha o ambiente do caixa organizado e limpo. Transmitir sensação de desordem é um ponto negativo. Então, nada de acúmulo de objetos pessoais ou de papel. Alimentos, nem pensar. O caixa precisa seguir o mesmo padrão de toda a loja e não pode, em hipótese alguma, destruir o encantamento causado por todo o processo de compra.

Fechar em alto estilo pode ser importante para que o cliente retorne.

 

A experiência de compra na sua loja de ferramentas

Que tal colocar em prática essas dicas?

Cuide da fachada da sua loja, treine seus vendedores, tenha uma vitrine bem elaborada e exponha seus produtos com o auxílio de elementos que reforcem suas virtudes. Deixe o consumidor vivenciar uma experiência real manuseando as ferramentas, facilite o acesso às mercadorias e seja ágil na hora de finalizar a venda.

 

As dicas foram úteis? Compartilhe com a gente suas experiências nos comentários abaixo.

 

Boxer Pro - loja de ferramentas
.